segunda-feira, 22 de maio de 2017

Recomeço

Começar do zero nunca é fácil. Ter que refazer planos, redirecionar sua vida ou até mesmo, se afastar de algumas pessoas, por motivos que só você vai julgar ser o certo.

Tenho um jogo no meu celular, Tap Titan 2, que quando você tem dificuldade de passar de fase ou não consegue mais avançar no jogo, aperta um botão e começa tudo de novo. Um pouco mais forte, com algumas vantagens e com mais experiência. A vida é mais ou menos assim, com uma pequena diferença: no jogo, você escolhe quando recomeçar. Na vida, ela não te dá opção.

Sempre fui uma pessoa precavida, em tudo. Sempre pensei nas possibilidades, nas metas, escolhas e como seguir, caso tudo desse certo ou errado. Por um breve momento, esqueci de me programar, caso tudo desse errado, por um simples motivo: ACHEI QUE NADA DARIA ERRADO. Adivinha?
Por motivos idiotas, sérios, fúteis ou por simplesmente achar que o tempo (o senhor de tudo), ajudaria a consertar o que deu errado.

Pela primeira vez, me vi perdida. Então, foi aí que notei algumas coisas.
Eu me acomodei: me larguei de mão, digo fisicamente (só olhar uma foto de índia que tenho no insta e vai saber do que estou falando) e principalmente, parei de pensar nos estudos, de me informar sobre a área que eu gosto - área da saúde- e não procurei os cursos que queria.

Esqueci como é seguir em frente, porém lembreu de algo que a minha vó sempre dizia: "Tudo acontece por um motivo. Muitas vezes não entendemos o porquê acontece, mas o tempo lhe dirá." Como qualquer mulher da família Souza, enxuguei as lágrimas, ergui a cabeça, usei a razão (a minha amiga de sempre) e comecei a listar tudo o que queria fazer e o quanto me custaria, fosse em tempo e em dinheiro.

As coisas deram errado. E daí? Começar do zero nem sempre é ruim. As vezes, quando tudo dá errado, foi feito pra isso mesmo, para alertar,para te acordar, te colocar nos eixos e mostrar o quanto você ainda tem potencial e principalmente, o quanto você está desperdiçando a porra da sua vida, se acomodando.

Objetivo do texto? Não tenha medo de começar do zero. tenha medo de nunca sair do lugar e perceber no final de tudo, que poderia ter conquistado o mundo.
E o mais importante: a única pessoa responsável pela sua felicidade é você mesmo.










quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Porque não basta só amar

Em outubro do ano passado, vi um vídeo que uma amiga minha, Joyce, me enviou. Eu achava que era um daqueles vídeos fofos, com gatinho cantando, mas não. Tinha um texto incrível e que nunca mais consegui esquecer. De tempos em tempo, revejo o vídeo, pelo simples fato de amar o texto. Não tem o nome do (a) autor (a), pelo menos não mostra nos créditos do vídeo. É um pouco triste e nem faço ideia porque gosto tanto. 


" Tudo começou com um simples beijo, era pra ser um relacionamento, como aquele filme 'Sexo Sem Compromisso'. Ele jamais imaginaria que ela seria o amor de sua vida e a mulher que ele sempre sonhou para ser a mãe dos seus filhos.

Eles eram muito felizes, mas como em todo relacionamento, enfrentavam momentos ruins e ele pela simples falta de experiência e maturidade, achava que esses momentos ruins era o fim do mundo. Quando ele a tinha, só enxergava os defeitos. Agora que a perdeu, olha suas infinitas qualidades.

Ela era linda, bem humorada, divertida, sabia se maquiar, tinha até covinhas. Beijava como nenhuma outra, tinha o sorriso mais encantador do mundo e até mesmo queria aprender a jogar LOL, Tibia e playstation, apenas para passar mais tempo ao lado dele. Eles tinham planos para o futuro infinito, até o primeiro cachorrinho já tinha nome: prazer Flarion! Pensavam nas viagens, cobiçavam a família que iriam construir com seus filhos, pensavam como seriam a casa que iriam morar e de repente tudo esquecido, por uma sequência de erros, ocasionada por uma coisa chamada: DESGASTE. 

Sim, brigas desgastam relacionamento e com eles não foi diferente. Ela muitas vezes era irritante e ele implicante. Ela era orgulhosa e ele mais ainda. Ela era egoísta e ele não suportava. Ela era de momentos e ele equilibrado. Mas independente de tudo isso, ela era a mulher da vida dele e um dia ele acabou esquecendo isso. Ele errou uma, duas, três, seis vezes. E ela perdoou. Ou não. Fingiu aceitar simplesmente, porque o amava muito e iria lutar todos os dias, contra si mesma, para conseguir esquecer os erros dele. Mas sem eles perceberem, ali o sonho chegara ao FIM. 

Fim é uma palvra forte e dolorosa. Ele viveram o extremo da tristeza, muitas noites sem dormir, muitos ataques de fúria, muitas loucuras, gritos, brigas, apertões e arranhões, mas também viveram o extremo da alegria. Muitos sorrisos, gargalhadas, beijos, abraços, olhares, conversas, noites agarrados no quarto dele e muitos, muitos momentos que deixavam aquela sensação de que passariam a eternidade juntos. Mas como eu disse: o sonho acabou.

Depois de seus erros, ele fez de tudo para trazê - la de volta. Tentou de todas as formas fazer com que ela voltasse a sonhar junto dele. Fez de tudo, para que ela não cometesse os mesmos erros que ele cometeu, mas nada foi o suficiente. Ela achou que poderia errar e falar na cara dele:' Você também errou.' Pois bem, ela estava valente e disposta a colocar um ponto final. Então, ela deu um passo a frente e não se importou com ele, um. só. segundo. Ela sabia que fazer aquilo, o destruiria de todas as formas possíveis. O coração dele ia parar de bater por alguns segundos, o corpo congelar, as lágrimas desceriam como uma tempestade e ela sabia disso. Ela sabia disso.

Ela sentiu saudades e o vazio que ele deixou no coração dela, nunca foi preenchido. Foi nesse momento que ela quis a qualquer custo voltar no tempo e não ter cometido os mesmos erros que ele. Ela fez de tudo para reconquistá - lo, mas o coração dele estava destruído demais para aceitar. Os dois, muito esgotados, se afastaram e não se falaram mais. O tempo foi passando e como passou rápido, criando uma distância entre os dois.

Sem saber o que fazer, ele deixou o tempo resolver tudo. Pois todo mundo diz que o tempo cura qualquer coisa, não é mesmo?! Ele até saiu algumas vezes, fez algumas viagens, bebeu uns gorós, mas ainda sentia dores fortes no peito. Então, ja que nada resolvia, ele ficou no canto dele, esperando as coisas mudarem com o passar do tempo.

Ela, eu não tenho ideia do fez, mas parecia estar feliz, com seu Twitter, seu Facebook, seu Instagram sempre bem atualizados. Poderia ser apenas fachada, iguais as redes sociais dele, mas como já disse, ela era uma garota de momentos e a chance dela estar feliz e curtindo a vida, era infinitamente maiores. O tempo passou e um dia pleo shopping ele subiu uma escada rolante, no meio da subida, ele congelou, o estômago embrulhou, começou a tremer perdeu os sentidos. Ele tentava puxar o ar, mas não conseguia. Ele queria gritar, mas a voz não saía e a primeira lágrima desceu. Dois segundos depois, outras trezentas desceram. Sabe por que tudo isso aconteceu? Porque ele lembrou dela. Ele lembrou que sempre ao subir uma escada rolante, ela corria para o degrau de cima, para poder abraça - lo forte."








 






sábado, 4 de fevereiro de 2017

Lá na curva o que é que vem?

E com as palavras da Princesa Leia que inicio esse post: "Pegue seu coração partido e faça dele arte."

Tive meu coração partido, mas sejamos sinceros, quem nunca? Nem todo final é feliz, porém o que importa são os recomeços. "Talvez o final feliz seja só seguir em frente"

Vejo em mim um grande defeito: ser muito transparente. Mesmo usando a minha grande e pesada armadura, pra tentar esconder quem realmente sou, para me magoar menos possível, não gosto de como algumas pessoas conseguem me ler, em segundos.
Me vi obrigada a ser forte. Minha vó me ensinou a ser assim. E a vida também. O que muitas pessoas não sabem é que: não somos constantemente de ferro! Precisamos de ombro amigo, colo, ficamos tristes, choramos e não somos auto suficientes. Quanto mais durões, mais sensíveis. Apenas demonstramos tanta força, porque temos uma reputação a zelar.

Sempre reclamo que o Universo nunca conspira a meu favor e quando ele finalmente me ouve, eu vacilo. Sou mestre em de fazer cagadas na vida. Acha que gosto? Não mesmo! É uma habilidade adquirida depois de tomar tanta porrada da vida. Eu sei que quando as coisas estão começando a dar certo por muito tempo, fico com medo, que em algum momento tudo dê errado. Muitas vezes não dá.

Já disse uma vez, em dois posts anteriores, que não sei perder, principalmente pessoas. As decisões que precisam ser tomadas, não são difíceis, são dolorosas, porém necessárias. Fico com receio das pessoas novas que entram na minha vida, seja pelo medo de fazer alguma besteira e perdê - las ou de me magoar novamente, entretanto é preciso arriscar e se jogar, afinal ninguém é igual a ninguém. Somos todos ferrados, procurando aquela paz de espírito e alguém que nos complete, nos transborde ou até mesmo, que sejamos apenas especiais.

Hoje, queria minha vó aqui. Ela saberia exatamente o que dizer, o que fazer, sem precisar falar muito e nem me contar seus problemas. Me escutar e conversar, pelos simples fato de querer me ajudar, sem ganhar nada em troca.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Felicidade do dia #08

A felicidade foi de ontem, mas só pude postar hoje, porque precisei esperar o dia terminar.
Doze de janeiro, um dia especial: MEU ANIVERSÁRIO!

Admito que fiquei muito emocionada com algumas mensagens, de amigos e pessoas próximas, sempre dizendo: "Não deixe que mundo tire sua essência", "Continue com seu sorriso largo e lindo",  "Não perca sua franqueza e honestidade","Que você continue essa pessoa maravilhosa", "Que seja um ano de realizações", "Ogra fofa" e "Te amo".
Recebi visitas de amigas, que vejo pouco e ganhei ligações de pessoas que nem imaginava

A frase que mais me emocionou, veio de um áudio, de quem não esperava, que dizia: "Continue essa mulher guerreira, que corre atrás do que quer e principalmente, você sempre se ergue novamente, não importa a porrada que a vida te dá. Por isso que te admiro muito. Te amo pra sempre."  E foi aí que percebi como sou sortuda. Sou rodeada de pessoas maravilhosas, o tempo inteiro.

Minha amiga, Juliana, disse pra eu não esquecer de fazer o pedido de aniversário, que só teria até a meia noite. De início não fazia idéia do que pedir, mas ficou claro ao longo do dia.

Eu peço pra sempre estar rodeada de pessoas boas, seja no meu aniversário ou em qualquer momento da minha vida. Que as pessoas ruins saiam logo, mas que encontrem paz, luz e sabedoria ao longo da vida, afinal elas precisam mais do que eu. Que eu sempre esteja amadurecendo, sem perder a minha essência, seja por culpa da vida ou por alguém e principalmente, que eu nunca perca o meu jeito leve de encarar a vida.

Felicidade do dia? Saber que sou amada! 



terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Felicidade do dia #07

Todo final de ano, eu tenho um pequeno ritual de escrever listas (amo listas). Uma para as coisas que quero comprar, de livros que preciso ler e de metas para o ano que está por vir. No ano passado não foi diferente. 

As listas ficam penduradas num quadro, no meu quarto, no alcance da minha vista para que nunca sejam esquecidas. Por que estou falando sobre isso? Porque hoje, no décimo dia do ano, cumpri a minha primeira meta de 2017. É um acontecimento pequeno, talvez besteira pra algumas pessoas, mas começar o ano feliz, pelo simples fato de conseguir algo que não esperava ser tão rápido e de forma tão eficaz, é GRATIFICANTE. E a melhor parte disso: meus amigos estão felizes junto comigo!

Felicidade do dia? Primeira meta cumprida! 

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Coisas sobre a Mari

Ano novo, postagens novas! 2016 foi bem corrido e quase não consegui escrever, fosse por falta de tempo ou aquele famoso sentimento chamado: preguiça.

Esse ano, tudo vai mudar e como o primeiro post de 2017, nada melhor do que mostrar coisas a meu respeito, que poucas pessoas conhecem. Sim, eu tenho um lado fofo, apesar de sempre mostar meu jeito ogra, sincera e bruta. Então, resolvi listar as algumas coisas que gosto e partes da minha personalidade.

- Sou supernerd: gosto mesmo de livros, HQ's, mangás, filmes e séries. E vou querer debater sobre;
- Sempre vou comparar o livro com o filme. Só aceita.
- Amo tatuagens, mesmo que você ache que é coisa de maconheiro, vagabundo e puta. Caguei pra sua opinião!
-  Sou muito conhecida por ser ogra, falar o que penso (sem magoar ninguém, é claro), porém sou a pessoa mais sensível que você irá conhecer. Choro com comerciais bonitinhos, filmes românticos, dramas, filmes de ação e até animação. Pra ter uma noção, chorei em: O Rei Leão (Mufasa morrendo é triste demais), A Princesa e o Sapo, Star Trek: Além da Escuridão, Uma prova de amor, PS Eu Te Amo, etc.
- Gosto de conversar olhando nos olhos;
- Tenho uma risada alta;
- O que eu mais gosto em mim é meu sorriso. Acho minhas covinhas um charme;
- Pra se tornar meu amigo é muito difícil, mas quando se torna, é pra sempre. Te ajudo em qualquer coisa. Você me ganha na honestidade, porém, bastou um vacilo, pra me perder de vez.
- Sou vingativa. Não de fazer mal ou desejar, mas quando algo acontece pra pessoa que me prejudicou, não consigo sentir pena. Fico igual a Cersei Lennister, bebendo vinho, apreciando o estrago, quando ela explodiu o Septo de Baleor.
- Não tenho ciúmes de tudo e de todos, mas quando sinto ciúmes de alguém, é quase certo que está rolando alguma coisa;
- Não acho meu corpo bonito. Principalmente a minha bunda;
- Quando eu era criança, queria ser branca, porque não gostava da minha cor. Minha família era branca e eu me sentia deslocada. Até que a minha mãe sentou comigo e me disse: "Sua cor é linda. Eu queria ter a sua cor, muita gente vai a praia pra ficar com a sua cor. Eu pedi pra Deus pra você vir assim." Hoje sou apaixonada pela minha cor. Obrigada, mãe!
- Não me acho atraente, bonita, sexy e/ou gostosa. Sempre vou me ver como uma menina esquisita e que passo desapercebida pela multidão;
- Minha bebida favorita é café. A segunda é cerveja!
- Apesar de ser fitness, não abro mão das minhas gordices, de vez em quando;
- Minha autora favorita é Jane Austen;
- Meu filme favorito é Bastardos Inglórios;
- Sou romântica, sem ser melosa. Muito doce me irrita;
- Amo correr;
- Meu personagem favorito no Star Wars é o C3PO (não me pergunte o porquê);
- Amo viajar;
- Adoro ouvir os meus amigos, seja só para ouvir ou dar conselhos (quando eles pedem), mas gostaria que percebessem, quando preciso falar e eles apenas ouvir;
- Estou escrevendo um livro;
- Tenho um sonho de ser enfermeira;
- Hoje em dia não me vejo com filhos e nem casada;
- O primeiro lugar que quero ir, quando eu tirar meu passaporte, é Paris. O segundo é Londres.
- Quero pular de parapente, paraquedas, bungee jumping e fazer rapel;
- Quero aprender a tocar violão;
- Sinto saudades da minha vó. Todos os dias (mesmo que eu não transpareça)
- Fui criada por duas mulheres incríveis: Mulher Maravilha e Capitã Marvel;
- Estou com muita vontade de comprar um PS3, porém não tenho tempo para jogar;
- Tenho vontade de fazer boxe, mas também pole dance. E também Stiletto dance;
- Amo batom vermelho. E maquiagens em geral;
- Amo brincos grandes;
- Tenho vontade de aprender culinária Italiana e usar os amigos de cobaia;
- Não enxergo de longe. Então, se eu passar na rua e não te cumprimentar, foi porque não enxerguei;
- Odeio acordar cedo. Acordo de mau humor e se encher muito meu saco, começo a ter pensamentos psicopatas;
- Tenho playlist pra tudo na vida. Até pra lavar a louça;
- Minha loja favotita no shopping é a Saraiva;
- Sempre vou dar preferência a roupas que me deixam confortável, mesmo que eu não fique gostosa.
- Não tenho super herói favorito. Sou do tipo que se apaixona pelos vilões.
- Meu vilão favorito é o Wilson Fisk. Meu segundo é o Coringa;
- Meu diretor favorito é Tim Burton. Seguido por: Wood Allen e Guilhermo Del Toro;
- Não tenho paciência com pessoas mimadas;
- Amo o frio. Sol e calor apenas na praia.
- Amo cabelo grande, mas admito que o cabelo curto tem seu charme;
- Sou competitiva. Com os outros e comigo mesma;
- Odeio perder. Principalmente amigos;
- Sei pedir desculpas quando estou errada, mesmo que eu não suporte admitir que estou errada;
- Não sou inteligente, mas sou esforçada;
- Falo inglês. próxima língua que quero aprender é Francês;
- Já fumei cigarros, por dois anos. Parei por me sentir mal;
- Sempre tive medo do Fred Krueger. Crescer não fez esse medo passar;
- Também tenho medo de Bate Bola ¬¬
- Tenho um lado fofo que quase niguém conhece.

Tem muito mais coisas, que provavelmente esqueci. Se você lembrar de algo, só mandar nos cometários!

Beijos, Mari


























segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Felicidade do dia #06

Assisto 744757348573947 séries ao mesmo tempo. Não é exagero. Quando as minhas séries favoritas terminam e eu tenho que esperar mais um ano, pela próxima temporada, só resta me consolar com outras séries. Muitas pessoas perguntam como eu consigo e pra falar a verdade, nem eu sei. 

Pra começar, por eu ter pouca grana, minha vida social é um pouco parada, ou seja, ficar em casa facilita maratonar sem perturbação.

Não me canso rápido. O chato de convidar pessoas pra maratonar com você é que você tem disposição de assistir 15 episódios seguidos, enquanto seu amigo no segundo episódio já quer fazer outra coisa ou está dormindo. Portanto, se eu tiver tempo de fechar uma temporada em um dia, eu irei fazer, com um único arrependimento: acabar a série tão rápido e ter que esperar um ano para a próxima.  

Eu tenho tempo. Meu trabalho tem internet, acesso a Netflix e a única dúvida que eu tenho é qual a próxima série vou assistir. Não é que eu não faça nada o dia todo, mas quando tenho tempo, num horário menos movimentado, são 3 episódios colocados em dia. Parece pouco, mas coloca na ponta do lápis 3 episódios por dia. No fim da semana é mais do que muita gente consegue assistir, num final de semana. 

Então, por as minhas séries em dia é incrível. Privilégio que poucos tem. 
Ponto positivo: amigos me pedem dicas do que assistir.
Ponto negativo: por assistir muitas séries, tenho poucas pessoas pra discutir sobre. 

Felicidade do dia? Ter tempo de maratonar séries.